Associação Brasileira Rede Unida, 13º Congresso Internacional Rede Unida

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
USO DO LÚDICO PARA O PROCESSO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE COM O PÚBLICO NFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA
Diully Siqueira Monteiro, Marcos José Risuenho Brito Silva, Fernando Kleber Martins Barbosa, Fernando Kleber Martins Barbosa, Regiane Camarão Farias, Regiane Camarão Farias, Camilla Cristina Lisboa do Nascimento, Camilla Cristina Lisboa do Nascimento, Aliny Cristiany Costa Araújo, Aliny Cristiany Costa Araújo, Widson Davi Vaz de Matos, Widson Davi Vaz de Matos

Última alteração: 2018-01-25

Resumo


Apresentação: A educação em saúde por meio de instrumentos eficazes devem proprocionar ao individuo serem capazes de adotar mudanças de comportamentos, práticas e atitudes, além de dispor dos meios necessários à operacionalização dessas mudanças. Neste sentido a educação em saúde significa contribuir para que as pessoas adquiram autonomia para identificar e utilizar as formas e os meios para preservar e melhorar a sua vida. A aprendizagem mediada é apontada como uma forma de interação que desenvolve as atitudes e competências básicas para uma aprendizagem efetiva. O uso de atividades lúdicas como instrumento de aprendizagem mediada proporciona a eficácia no processo de educação em saúde em publico infantil. Por meio das atividades lúdicas, a criança reproduz muitas situações vividas em seu cotidiano, as quais, pela imaginação e pelo faz-de-conta, são reelaboradas. Esta representação do cotidiano se dá por meio da combinação entre experiências passadas e novas possibilidades de interpretações e reprodução real, de acordo com as suas afeições, necessidades, desejos e paixões. Estas ações são fundamentais para as atividades do homem. A partir disso, o lúdico demonstra como um recurso fundamental na possibilidade de mudanças de hábitos. Grande parte da população brasileira ainda vive em condições ambientais favoráveis a aquisição de parasitoses. Dessa forma, o ambiente escolar pode representar riscos como também favorecer a percepção e a criação de hábitos favoráveis à superação destes eventuais riscos. Vale lembrar, a enfermagem consiste em um misto de ciência e arte que tem como lar profissional o cuidado humano. Assim, o enfermeiro tem destaque, já que é o principal atuante no processo de cuidar por meio da educação em saúde. O cuidado de enfermagem vai além da visão reducionista de assistência ao doente (ou à doença), uma vez que tem como foco a saúde sob uma perspectiva holística.  O objetivo do estudo é relatar a experiência dos acadêmicos de enfermagem da Escola de Enfermagem Magalhães Barata sobre as atividades lúdicas como processo transformador no processo de educação em saúde desenvolvido com publico infantil em ambiente escolar. Desenvolvimento do trabalho: O estudo é um descritivo do tipo relato de experiência com abordagem qualitativa com base em metodologia ativa com ênfase na Problematização por meio do Arco de Maguerez. O qual possui 5 etapas: observação da Realidade Identificação dos Problemas-Pontos Chaves, Teorização, Hipóteses de Solução – Planejamento, Aplicação – Execução da ação (Prática). O local foi um colégio de ensino público, pequeno porte em Belém do Pará. Os participantes foram 14 crianças na faixa etária de 6 a 8 anos, estudam o 1º ano do ensino fundamental. A abordagem da ação educativa foi prevenção primária contra parasitoses intetinais por meio da higiene individual. A qual foi facilitada por acadêmicos de enfermagem da Escola de Enfermagem Magalhães Barata da Universidade do Estado do Pará. Após a análise situacional do campo de estudo, foi realizada a escolha do problema a ser trabalhado. Em seguida, foram planejadas e realizadas atividades de sensibilização, utilizando como estratégia recursos lúdicos como o teatro de fantoches, o jogo de trilha com perguntas, pinos e contagem das pontuações no quadro branco verificando o alcance de objetivos, atividades de desenho e pintura, seguida de discussão de todos os participantes em conjunto com elaboradores da ação sobre o assunto apresentado. A ação educativa foi desenvolvida em quatro momentos: A primeira atividade consistiu no teatro de fantoches com objetivo de transmitir o conhecimento sobre higiene individual de modo lúdico. Por conseguinte, a turma foi divida em grupos formando dois espaços o jogo de trilha e a pintura. No término dos espaços havia a troca de grupos. Ao final, as crianças em roda sentadas no chão expressavam os conhecimentos adquiridos e recebiam brindes. Resultados e/ou Impactos: Por meio da análise crítica da ação educativa, verificou-se grande adesão as atividades propostas para o público infantil. O primeiro momento da ação educativa pode-se observar o grau de conhecimento dos participantes, os quais demonstravam pouca clareza a repeito do assunto, isso era perceptível pela presença de grandes quantidades de duvidas. Dessa forma, a construção do conhecimento era baseada nos diálogos dos personagens/fantoches e participantes com fantoches por meio do Teatro de Fantoches. O segundo e terceiro momento foi verificado um alto grau de absorção de conhecimentos desenvolvidos na primeira etapa da ação educativa. Esse momento foi aplicado jogo de trilha e a pintura relacionada à higiene individual e a prevenção de parasitoses, assim foi observado durante a atividade relatos dos participantes, posicionando as justificativas dos perigos a saúde através das atividades. É importante lembrar que o jogo de trilha mostrou-se como ratificação dos conhecimentos adquiridos de modo direto, o qual era estruturado pelo jogo de perguntas e resposta. Isso foi percebido pela uma expressiva e maioria de acertos de perguntas. Diante disso, os conhecimentos desenvolvidos através das atividades lúdicas como teatro de fantoches, o jogo de trilha, pintura e resposta em roda atentou a elevada possibilidade de mudanças de hábitos. É importante ressaltar que ação educativa gerou aos acadêmicos de enfermagem a efetivação dos conhecimentos de educação em saúde, possibiltando a efetivação do papel do cuidado em enfermagem. Considerações finais: Portanto, o alto grau de envolvimento com as atividades lúdicas gerou a expressiva possibilidade de mudanças nos hábitos cotidianos e reconhecimento de condutas de risco a saúde. A partir disso, o estudo proporcionou que as intervenções lúdicas são eficazes instrumentos de promoção de aprendizagem em saúde. Logo, a observação da eficácia das atividades lúdicas no processo de educação em saúde realizada pela enfermagem gera atuação no fortalecimento dos princípios de prevenção e promoção da saúde. Assim, o uso do lúdico sugere a efetivação do papel educador da enfermagem no processo saúde-doença.  Por outro lado, o estudo proporcionou a necessidade de observar cada vez mais o ambiente escolar como elemento importante no processo saúde-doença. Dessa forma, a comunidade escolar possui grande responsabilidade de proporcionar a menor exposição a estes riscos e a promoção de cuidados preventivos eficazes. É importante lembrar que ainda é necessário mais estudos sobre os reflexos do lúdico na construção do conhecimento do público infantil durante o processo de educação em saúde.


Palavras-chave


ENFERMAGEM; ENSINO; EDUCAÇÃO EM SAÚDE