Associação Brasileira Rede Unida, 13º Congresso Internacional Rede Unida

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
EDUCAÇÃO EM SAÚDE COMO METODOLOGIA DE PROMOÇÃO A VACINAÇÃO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA
CAMILA LEÃO DO CARMO, ADRIANY DA SILVA PEREIRA, BRUNA RENATA FARIAS SANTOS, FERNANDO KLEBER MARTINS BARBOSA, JACKELINE LEITE DE OLIVEIRA, REGIANE CAMARÃO FARIAS, GIOVANA KARINA LIMA ROLIM, DANIELE RODRIGUES SILVA

Última alteração: 2018-01-16

Resumo


Apresentação: A vacinação é um meio eficaz de prevenção da saúde, o qual vem proporcionando a atenuação da mortalidade e morbidade infantil, haja vista que com a imunização do organismo da criança torna-se mais resistente a infecções de microrganismos patológicos. Sendo um fator preventivo que confere além da proteção individual contra sérias doenças, a proteção a comunidade, reduzindo a circulação de agentes infecciosos. Visando controlar e erradicar doenças a partir da vacinação em massa de crianças, o Ministério da Saúde desenvolve programas de imunização e promove campanhas periodicamente, porém devido a diversos fatores como o nível cultural e econômico dos pais, causas relacionadas a crenças, superstições, mitos e credos religiosos, muitas crianças deixam de ser vacinadas. Para de fato entendermos a importância da vacinação é fundamental que tenhamos um conceito do seu processo ativo, pois as vacinas são substâncias como vírus ou bactérias inativadas, ou microrganismos inteiros vivos, porém atenuados, que ao serem introduzidos no organismo de uma pessoa estimulam o sistema imune do indivíduo a desenvolver anticorpos, que irão produzir uma defesa contra os microrganismos que provocariam a doença. Estes anticorpos ativam células de memória do sistema imunológico, de forma a evitar que o indivíduo desenvolva novamente a doença ao ser exposto a ela, obtendo assim a imunidade. Sendo assim, no intuído de contribuir com a efetivação do objetivo do Ministério da Saúde em prevenir doenças infectocontagiosas por meio da vacinação, observou-se a importância de realizar metodologias educativas que incentivasse e sensibilizassem os pais a cumprirem o calendário de vacina. De tal modo o presente trabalho tem como objetivo principal, informar os pais e responsáveis de crianças atendidas em uma Unidade Municipal de Saúde a importância da vacinação infantil e a partir das informações ministradas, sensibilizá-los a cumprir o calendário de vacina e assim, promover e prevenir de saúde não só das crianças de forma individual, mas da população como um todo. Para isso utilizamos como objetivos específico a elaboração de material metodológico que informasse os pais/responsáveis as principais características das vacinas, assim como entreter-se as crianças e expulse-se a ela que a vacinação não é algo ruim e sim um benefício. Descrição da experiência: O trabalho em questão trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência, visando contemplar as cinco etapas da problematização descritas por Berbel (2011) como observação da realidade e definição de um problema, postos-chaves a partir de uma análise crítica, teorização, hipóteses de solução e aplicação à realidade.  Na qual a partir da observação da realidade exposta durante a efetuação das consultas de enfermagem, notou-se que os responsáveis geralmente apresentavam um atraso na efetuação da imunização segundo a caderneta de vacina cujo filho possuía. A partir dessa observação formulou-se uma hipótese de solução ou atenuação ao problema a qual foi fundamentada na efetivação de uma ação educativa realizada com os pais das crianças atendidas nesta Unidade Municipal de Saúde. A ação educativa foi efetuada na sala de espera para consultas pediátricas da Unidade Municipal de Saúde localizada na região metropolitana de Belém do Pará, para aproximadamente 20 pais/responsáveis os quais levavam suas crianças para consulta de enfermagem e consulta  médica, utilizou-se de ferramentas metodológica, sendo uma delas o folder informativo, com informação sobre as vacinas, e a outra metodologia educativa foi a elaboração de uma música que ressaltava a importância da vacinação, tal música foi cantada por meio da utilização de fantoches, pois além de informar as mãe sobre a importância de seguir o calendário vacinal, também tornou a vacinação um ato menos traumático para as crianças ali presente. Resultados: Notou-se que os responsáveis presentes em sua maioria eram do sexo feminino, a idade variava de 16 a 37 anos, apresentavam diferentes níveis de escolaridade sendo a maioria de ensino médio completo.  Elas expuseram muitas dúvidas quanto ao calendário de vacina, pois muitas não tinham conhecimento de qual vacina o filho deveria tomar com determinada idade e qual a finalidade da vacina, dúvidas essas sanadas com o material impresso no folder. Também houve relatos de que não haviam vacinado a criança, pois não havia a vacina preconizada para a idade na Equipe de Saúde da Família do bairro onde residem, nesse caso indicou-se a elas que levassem a criança a sala de vacina a fim de atualizar o calendário. Outro resultado importante foi a interação das crianças ali presente com os fantoches e com a música, sendo válido ressaltar que algumas crianças na faixa etária de segunda infância pediram após a música para que as mães as levassem para vacinar, haja vista que a letra da música ressaltava que “é só uma furadinha não dói quase nada... vacinar faz muito bem... atrasar o calendário da uma confusão...”, como resultado final, notou-se que ao abordar a temática vacinação por meio de ação educativa, temos que fazer uma abordagem que além de informativa, consiga a atenção do público alvo que são os responsáveis, mas também das crianças, pois quando informa-se as mães sobre os benefícios da vacinação e atenua-se o medo das crianças em relação a penetração da agulha, torna-se o processo de imunização mais aceito pelo binômio mãe e filho. Considerações finais: Conclui-se com a elaboração deste trabalho a importância da atenção primária no processo de promoção e prevenção da saúde, afinal é por este meio que as crianças tem o acesso a imunização e desta forma tem a saúde prevenida de problemas futuros, portanto a atenção básica é o batalhão de frente no processo de erradicação de doenças como poliomielite e varíola, pois como já foi mencionado é por meio de medidas efetuadas na atenção primaria e do fácil acesso as unidades de saúde, que ocorre a vacinação em larga escala das crianças, assim como é der deste setor que medidas de educação em saúde sejam efetuada e assim proporcionem a sensibilização dos responsáveis para a efetivação do calendário de vacina. Portanto, é fundamental que o profissional da atenção primaria realize medidas que incentivem e ensinem os pais a cumprirem o calendário de vacina, assim como é fundamental não apenas por meio de rodas de conversa mas também que sejam realizadas a sensibilização nas consultas de enfermagem cujo enfermeiro possui o papel de explique o calendário de vacinação aos responsáveis pela criança e incentive-os a realizar a imunização completa da criança, pois assim, estarão prevenindo que esta criança esteja sujeita a doenças graves, referenciando para a utilização da atenção terciaria, tendo de haver internações e podendo até mesmo acontecer o óbito deste usuário. Em suma conclui-se que a vacinação é importantíssima no processo de promoção e prevenção da saúde e deve-se incentivar o cumprimento do calendário vacinal.


Palavras-chave


vacinação; atenção primaria; enfermagem