Associação Brasileira Rede Unida, 13º Congresso Internacional Rede Unida

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES PORTADORAS DA TOXEMIA GRAVÍDICA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE
Kelly Adriani Dos Santos Baeta, Jose Carlos Correa Rego Filho, Daniela Costa Salheb de Oliveira, Rayza Brito Gonçalves, Emille De Fátima Ventura Magalhães, Conceição do Socorro Damasceno Barros

Última alteração: 2018-01-25

Resumo


APRESENTAÇÃO: A toxemia gravídica é uma doença multissistêmica que costuma ocorrer na segunda metade da gestação, caracterizada por hipertensão, cefaléia e proteinúria. Nas suas formas graves, instala-se a convulsão, e a doença antes chamada pré-eclâmpsia, passa a ser denominada eclâmpsia. A hipertensão na gravidez pode ser classificada em: Pré-eclâmpsia/eclâmpsia; Hipertensão crônica (de qualquer causa); Hipertensão crônica com pré-eclâmpsia superajuntada; Hipertensão gestacional. Tal complicação, atualmente, mostra-se como a 1ª maior causa de morte materna no Brasil, e que pode estar sendo prevenida por meio de acompanhamento e orientações que contribuem ao bem estar da mulher no período gestacional e no puerpério. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo relatar a experiência de acadêmicos de enfermagem durante as práticas acadêmicas do Componente Curricular Saúde da mulher e da criança, desenvolvendo orientações sobre a toxemia gravídica com gestantes nesta condição. DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO: Ocorreu durante o segundo semestre de 2017, em uma unidade hospitalar referência em obstetrícia e ginecologia, situada na cidade de Belém-PA, e teve como realidade problematizada a recorrente admissão de gestantes com complicações de toxemia gravídica, as quais, em suma, não detinham conhecimento acerca desta condição. Nessa perspectiva, realizaram-se orientações a respeito da temática, elucidando as principais causas e sintomas, seu tratamento e as medidas para prevenção, com parte da conduta de enfermagem e de sua assistência. RESULTADOS: O estudo permitiu um conhecimento mais aprofundado sobre a toxemia gravídica por parte dos acadêmicos de enfermagem, facilitando na melhor conduta e direcionamento às gestantes com suspeita e confirmação da pré-eclâmpsia/eclâmpsia. Além disso, durante as orientações em saúde, notou-se uma boa interação das gestantes com os acadêmicos, sanando as suas dúvidas e compartilhando informações, que outrora, desconheciam. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A toxemia gravídica é um problema grave, que se não diagnosticado precocemente, e intervir com o tratamento de imediato, expõe a gestante e o feto a problemas graves, podendo evoluir a óbito. O enfermeiro é de suma importância na abordagem de gestantes com sinais e sintomas da pré-eclâmpsia desde da atenção básica, no pré-natal até o trabalho de parto no âmbito hospitalar. Intervindo com ações de acordo com as suas competências, com intuito de oferecer uma assistência de qualidade e humanizada.

Palavras-chave


Assistência. Enfermagem. Pré-eclâmpsia.