Associação Brasileira Rede Unida, 13º Congresso Internacional Rede Unida

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
VÍNCULO AFETIVO MATERNO: IMPORTANCIA DA RELAÇÃO ENTRE MÃE E BEBÊ DURANTE A GESTAÇÃO
Nilce da Silva Baltazar, Inglith Rodrigues de Lima, Rogéria da Silva Farias, Eliane dos Santos Campos, Joseane Silva Oliveira, Fernanda Tabita Zeidan de souza, Maria das Dores Carneiro Pinheiro

Última alteração: 2018-01-15

Resumo


O presente estudo baseia-se em um relato de experiência vivenciado durante o Estágio Básico de Saúde, dentro de uma Unida Básica de Saúde-UBS, a qual teve como público alvo o grupo de gestantes cadastrado na UBS local. Este trabalho teve como objetivo instigar o público de gestantes a refletir sobre como tem percebido o vínculo mãe-bebê no período de gestação, através de intervenções realizadas com o público mencionado.  Inicialmente foi feito o acolhimento das gestantes, esclarecendo primordialmente o papel do psicólogo no contexto da saúde, em seguida foi feita uma explanação acerca das vivências gestacionais, informando acerca da importância do vínculo mãe e bebê, assim como, as possíveis consequências da ausência deste, sendo enfatizado como se promove o vínculo mãe e filho na gestação, orientando como algumas ações podem ser benéficas para isso, dentre elas, a musicoterapia, contar histórias, conversar com o bebê mesmo ainda na barriga. Entende-se que, o vínculo afetivo materno é considerado imprescindível para que o bebê se desenvolva de forma saudável em todas as fases da vida. A relação mãe e bebê se constitui desde o período pré-natal, e é influenciada pela interação estabelecida com o mesmo, bem como, as próprias sensações, emoções que essa mãe vivencia.  A gestação é um evento complexo, com mudanças de diversas ordens; é uma experiência repleta de sentimentos intensos que podem dar vazão a conteúdos inconscientes da mãe. Para realização das atividades foi utilizado apenas material áudio visual, e o momento da interação foi efetivado na sala de espera da Unidade Básica.  Como resultados, pôde-se perceber que as gestantes mostraram-se bastante participativas, foi notório constatar a ausência de conhecimento por parte das gestantes, sobre a importância da vinculação afetiva com o bebê, resultando em muitos questionamentos sobre o assunto. Houveram alguns relatos de experiências passadas, gestantes que já estiveram grávidas, contribuíram relatando como o vínculo foi promissor quando trabalhado e que pode gerar uma boa relação de mãe e filho, e como isso é imprescindível na saúde mental do indivíduo.  Dessa forma, constatou-se que a relação maternal ainda que indispensável para o desenvolvimento saudável do bebê, mostra-se como, um assunto que necessita ser melhor abrangido e discutido em diversas áreas, visando um melhor entendimento deste, para assim, refletir na importância dos cuidados mãe e bebê.


Palavras-chave


Relação; Intervenção; Mãe/bebê; saúde