Associação Brasileira Rede Unida, 13º Congresso Internacional Rede Unida

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
Segunda Opinião Formativa como estratégia de fomento à Educação Permanente: Re-inventando as ferramentas no SUS
Eneida Carvalho Gomes Ferreira, Celina Sayuri Shiraishi Takeshita, Camilla Castro Nunes Alencar, Marcella Cristina Halliday Muniz, Valdeliria Carvalho Coelho Mendonça

Última alteração: 2018-01-22

Resumo


Apresentação:

A relevância da Educação Permanente em Saúde (EPS) para a reflexão crítica da prática cotidiana nos serviços de saúde e consequente possibilidade de implementação de mudanças no processo de trabalho é compreendida e incorporada pelo Programa Telessaúde Brasil Redes. Neste sentido, as ofertas de serviços proporcionados configuram-se importante iniciativa de fomento à qualificação dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e fortalecimento da Atenção Primária à Saúde (APS) por meio de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC’s). Assim, de maneira a suscitar novas formas do saber fazer no território, o Núcleo Estadual de Telessaúde em Sergipe (NT-SE) corrobora com o cenário nacional e agrega as especificidades advindas das demandas locais no desenvolvimento e disponibilização de ações educacionais de promoção e cuidado em saúde, a saber: Tele-educação, Teleconsultorias e Segunda Opinião Formativa (SOF). Esta última ação consiste no objeto de relato dessa experiência que objetiva apresentar como esta ferramenta suscita a EPS.

Desenvolvimento:

O NT-SE desenvolve as SOF’s partir de respostas às dúvidas dos profissionais das ESF do estado, por meio de teleconsultorias, via plataforma nacional de telessaúde. São eleitos os questionamentos que apresentem conteúdos: a) relevantes e prioritários para o SUS; b) reaplicáveis em diferentes contextos e lugares distintos do país; c) baseados em boa evidência científica e clínica. Posteriormente, são editadas com base na revisão bibliográfica, protocolos e guias de práticas e, submetidas à avaliação de equipe técnica da Biblioteca Regional de Medicina integrante da Organização Pan-Americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). Após validação, as SOF’s são disponibilizadas na rede mundial de computadores através da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) do Ministério da Saúde (MS), para livre acesso de profissionais, estudantes e pesquisadores interessados. As SOF’s publicadas neste acervo tornam-se fontes de informação qualificada científica e tecnicamente, afirmando-se enquanto instrumento efetivo de EPS na agenda dos profissionais de saúde e como subsídio à prática na promoção de espaços de ensino, troca de experiências e reflexões a partir dos conteúdos. Assim, delineia-se este estudo observacional e descritivo com base no perfil destas produções do NT-SE.

Resultados:

Atualmente, o NT-SE ocupa a terceira posição no ranking nacional na contribuição para composição deste acervo. Dentre as 104 SOF´s publicadas na BVS de janeiro/2014 a novembro/2017, destacam-se as áreas temáticas: Apoio ao Tratamento e ao Diagnóstico e processo de trabalho na APS. Categorias profissionais que suscitaram SOF´s: Enfermeiros (41,4%), Agente Comunitário de Saúde (28,9%), Médico (15,3%), Cirurgião Dentista (7,7%), Auxiliar/Técnico de Enfermagem (5,8%) e Assistente Social (0,9%). Ação disponibilizada para 98,7% dos municípios de Sergipe através dos 157 pontos do Telessaúde implantados nas unidades básicas de saúde com equipamentos multimídia e conectividade.

Considerações Finais:

Logo, a SOF se apresenta como proposta estratégica, capaz de contribuir para a qualificação dos trabalhadores no SUS, transformação dos processos formativos, das práticas pedagógicas e de saúde, pois se constitui um importante instrumento de acesso rápido e universal no apoio às tomadas de decisões, diminuindo o tempo e gasto com recursos no sentido de facultar a resolutividade de situações locais.


Palavras-chave


Educação Permanente; Atenção Primária à Saúde; Telessaúde