Associação Brasileira Rede Unida, Iº Colóquio CISMEPAR

Anais do 13º Congresso Internacional da Rede Unida

v. 4, Suplemento 1 (2018). ISSN 2446-4813: Saúde em Redes
Suplemento, Anais do 13ª Congresso Internacional da Rede UNIDA
Tamanho da fonte: 
CLÍNICA COM BEBÊS E OS DISTÚRBIOS DA DEGLUTIÇÃO
Fabiana Gonçalves, ROSANA HASHIMOTO, MARIA TEREZA BETT RODRIGUES, MARISA MULLER MELLE

Última alteração: 2019-11-25

Resumo


O Protocolo IRDI (Indicadores de Risco para o Desenvolvimento Infantil), é utilizado como norteador na conduta clínica em suas especificidades trabalhando com pediatra, psicólogos, fisioterapeutas, psicopedagoga, fonoaudiólogas, enfermeira, assistente social e nutricionista, cujo marco nesse campo de atuação é a interdisciplinaridade. Uma nova proposta da equipe na intervenção com bebês/ crianças que apresentavam sinais e sintomas específicos na dinâmica da deglutição por diversas causas entre elas: prematuridade, doenças neurológicas, cardiopatias, doenças respiratórias e recusa alimentar por questões psíquicas. O objetivo foi investigar, detectar e verificar o grau de severidade desses distúrbios e a competência do bebê/criança em suas habilidades de alimentar-se haja vista que essa inadequação pode refletir em seu estado geral de saúde trazendo alterações no seu crescimento, desenvolvimento, comportamento além do prazer alimentar e social. Um protocolo de Avaliação da Deglutição foi adaptado a fim de verificar ausência ou debilidade dos reflexos do sistema oro-motor e adequação ou inadequação na função de alimentação. Os casos foram discutidos com a equipe e posteriormente agendados para atendimento em dupla terapêutica tendo como estrutura a psicologia e instrumentalmente a fonoaudiologia e/ou fisioterapia. Por ser de natureza emergencial foi criada uma agenda específica da fonoaudiologia que atendeu a demanda para avaliar e intervir como terapeuta única por algumas sessões. No período de maio a novembro de 2019 foram avaliadas aproximadamente 30 crianças com as seguintes intercorrências: história de parada cardiorrespiratória, uso de traqueostomia e gastrectomia, paralisia cerebral, cardiopatia, síndrome alcóolica-fetal, refluxo gastresofágico, prematuridade, seletividade alimentar, anquiloglossia e alergia alimentar. O resultado foi resolução rápidas para a angústia e insegurança das mães em oferecer alimento ao bebê/criança contribuindo para amenizar e ou/ sanar os riscos na hora da alimentação, agilidade no fluxograma dos atendimentos e nos encaminhamentos para especialidades clínicas e direcionamento aos municípios sobre o aspecto específico do caso, acolhida pontual e direcionada. Dado o grau de complexidade que envolvem as questões alimentares do bebê/criança foi proposta uma capacitação para equipe com o tema “A Clínica com Bebês e os Distúrbios da Deglutição” teve resultados positivos, trazendo qualificação e aprimoramento sobre questões alimentares na primeiríssima infância. A proposta deste serviço é que os bebês/crianças e seus cuidadores e aptos para desenvolver a dinâmica alimentar de forma ampla e o mais perto da normalidade possível até que se façam as refeições e o consumo adequado de alimentos sólidos e líquidos por via oral suprindo todas as necessidades corporais adequadas para a idade evitando perda de peso, desnutrição proteico calórica, hipovitaminoses, deficiência de minerais. Nos primeiros anos de vida, a nutrição e o ambiente são fatores importantes para o crescimento da criança, aleitamento materno, a introdução da alimentação complementar, o desenvolvimento motor oral, dentição e o desmame.